Arquivo mensal: agosto 2012

Hombres

Olhar coisas antigas dá um certo bem estar e as risadas vem ao lembrarmos das boas e bizarras lembranças, mas ao mesmo tempo bate uma certa angústia, uma nostalgia fatal e uma sensação estranha de que o tempo passou (e está passando).

E também você começa a se deparar com as coisas que abandonou por aí, deixou debaixo da mesa ou do tapete, ou simplesmente esqueceu nos infinitos armários, caixas e gavetas.

Minha sensação de esquecimento e revelação foi grande ao encontrar esses desenhos que deveriam formar uma série [hombres]. Pelo que me lembro era uma série de desenhos de homens no metrô. E não sei bem porque parei. Mas sobraram alguns rastros.

 

Mas o que importa é que tenho novos cadernos, novas ideias e ainda algum fôlego. Que venham então os novos desenhos.

Cães e gato

Gosto deles e gosto de tirar fotos deles. E é sempre um jeito de registrar do que gostamos. E também das críticas que temos, das nossas visões de mundo e do jeito que nos relacionamos com as coisas. Mas aqui não cabem tantas palavras e nem tanta seriedade.

Demorei para colocar essas fotos por aqui, mas como é boa a presença dos cães e gatos na vida. E acho que é isso.

:)

Entre casas e ruas

Apesar de nunca ter morado na Zona Leste (de São Paulo) eu tenho uma relação muito estreita com alguns de seus bairros, principalmente por ter passado uma boa parte das tardes da minha infância entre as ruas, avenidas e pessoas de lá.

O que quero dizer é que ao mesmo tempo que eu sinto um certo “fascínio”, também sinto uma distância enorme. Que existe, fato. E das ruas e pessoas abandonadas pela sociedade e pelo poder público acho que nasceu um pouco do meu olhar, meio sujo, meio estranho.

Mas já não sei o que estou falando. Só queria deixar registrado aqui algumas de suas paisagens.