Arquivo mensal: dezembro 2012

Lisboa em preto e branco

o tejo

Este é um ode meu à Lisboa. O encanto que a cidade me traz não têm tradução e, portanto, não tenterei por mais palavras tentar explicá-lo. Mas só sei que nunca esquecerei a primeira visão aerea da cidade, numa luz sem igual, num começo de tarde de setembro.

os pássaros

o fotógrafo a cena o cavalo e os outros a castanha o cais

todo a viagem começa aqui
todo a viagem começa aqui

E que venham outras manhãs, tardes, noites, neblinas, nuvens, céus, ventos e correntezas.

o sorriso

Desenhos, canções e um quarto vazio

espaços na mesa

Entre um café, uma leitura, um tédio, um ócio, um almoço e um trabalho acadêmico surge, às vezes, uma oportunidade de desenhar, de registrar de um outro modo tudo isso. E que bom que tenho cadernos, post-its, paredes vazias e me encanta muito o desenho bobo que faço.

um diário

Estou tentando desenhar uma página por dia, um post-it ou um rabisco nos cantos das páginas sérias da educação. Quanto prazer e quanto tempo que se passou sem que eu tivesse esses desenhos pra mim.

love song

post-it