Arquivo da tag: água

Detalhes, flores, tempo que passa

o detalhe na flor

Entre um texto e outro, uma leitura, um exercício, uma regra gramatical, uma teoria sobre a infância e a literatura infantil, arranjei um pequeno tempo e fui ver outros detalhes da vida – tão próximos fisicamente, mas tão distantes se pensarmos em outros pontos de comparação.

E volto aos detalhes, porque acho que gosto mesmo de olhar para um ponto pequeno e tolo e deixar o tempo passar, sem medo da felicidade, ou infelicidade, que dali pode brotar.

Sevilha [Espanha]

Não faz muito tempo, exatamente no dia 20 último, me deparei com algumas fotos de uma viagem de meses atrás, que eu já havia tratado mas que permaneciam na escuridão das infinitas pastas destes últimos meses. Aquelas duas fotografias não eram as únicas tratada e eu já estava quase que por me esquecer delas. Pois, aqui estou para colocar as restantes e falar um pouco da cidade em questão: Sevilha.

sevilha

Ainda em tempo, também criei uma nova categoria, viagens, para tentar organizar um pouco as minhas impressões de viajante iniciante. Claro que não tenho a pretensão de ser repórter ou literário, então me perdoem eventuais saltos, brancos, lacunas e informações publicadas em diversos posts ~ mas também acho que isso fica mais divertido.

Vamos diretamente ao ponto: Sevilha é uma cidade legal e todo mundo que vai pra lá, aparentemente, adora, mas, infelizmente, isso não ocorreu comigo. Não sei se porque o tempo estava meio estranho [o único dia de sol foi o que tirei essas fotografias] ou se porque eu ainda estava em choque pelo tamanho amor que rapidamente nasceu por Portugal ou se foi só o cansaço de uma longa viagem até lá [antes de chegar lá, passei por onze horas em Madri].

De qualquer forma, passei quase quatro dias por lá, andei um tanto, fui bem turista naqueles dias, passei de barco pelo Guadalquivir e consegui ter alguma noção das coisas por lá e, exatamente por isso, posso dizer que não ter gostado de lá não foi uma coisa de birra, cansaço ou qualquer outra coisa.

Apesar de tudo isso, foi uma viagem muito marcante e importante, pois foi a primeira vez, desde que havia chegado em Portugal, que eu pisava fora do país e também essa viagem acabou me aproximando de uma pessoa maravilhosa que conheci aqui em Setúbal, e que é de Sevilha [um beijo, Mari Tere <3].

E ficam as fotos para me fazerem sempre lembrar de uma viagem que parecia uma aventura, de dias muito bons, da melhor azeitona do mundo, da simpatia dos espanhóis e de como viajar nos fazer conhecer melhor um tanto de coisas.