Arquivo mensal: outubro 2012

Três castelos e um almoço

Não. Não foram três castelos, suas belíssimas paisagens e um almoço agradável que me responderam a dúvida angustiante que me persegue: o que eu quero fotografar além dos grandiosos monumentos e paisagens?

Na realidade acredito que essa questão surge imediatamente conectada ao fato de ainda não estar “vivendo minha vida” aqui, pois me sinto ainda um turista atento às 24 horas que há em um dia. Ainda não estou habituado a tudo e em busca daquilo que me dê um novo fôlego. Ainda há o céu espantosamente azul e o sol que queima e ilumina preciosamente as coisas. Ainda há um encanto que não se dissipa e, assim, ainda há a busca pelo meu encontro na fotografia.

E sinto-me feliz pela busca interminável.

Anúncios

Setúbal em preto e branco

Enquanto procuro o equilíbrio entre as fotos de um turista encantado com as mil novas paisagens e entre uma fotografia “autoral”, me encontrei com uma tarde especial que me gerou as seguintes fotos. E fiquei muito feliz.

Sinto que estou a começar a pegar Setúbal para mim, ou seja, começo a transformá-la um pouco em minha e consigo assim detê-la com um olhar mais profundo. Ou não. Talvez tudo seja culpa do sol e da luz que deita sobre a cidade nesses fins de tardes de um final de verão/começo de outono. Que seja.

Reflexões praianas – parte 2

Quase nenhuma palavra, basta dizer que esse lugar valeu todos os bons euros gastos nos táxis de ida e vinda. Mesmo. :)

Embora tudo tenha sido (e esteja sendo) deveras rápido, a sensação permanece, ainda que embaraçada em outras tantas rápidas e violentas sensações. Pelo menos houve (e há) a praia e o mar.